Voltar ao
site da CUT

VOLTAR

O Prêmio

O Prêmio

O Prêmio - Apresentação

Democracia e Liberdade, sempre!

Essenciais para o exercício da cidadania, a democracia e a liberdade são princípios interligados: um não pode ser exercido sem o outro. Sem democracia, não há liberdade. Sem liberdade, não há democracia.

Ao longo do século passado, a democracia e a liberdade sofreram duros ataques no Brasil. Princípio fundamental da democracia, as eleições diretas para o cargo máximo da Nação – a presidência da República – foram suspensas por golpes. E junto com eles, a liberdade escapava das mãos dos brasileiros.

Mas, depois de vivenciar vários períodos de arbítrio – sendo o pior e mais longo, a ditadura militar que perdurou por mais de duas décadas, a partir do golpe de 1964 –, a mobilização popular fez com que o Brasil caminhasse para a democracia. Por meio de uma emenda constitucional, em 1986, as eleições presidenciais foram restabelecidas. Dois anos depois, a Assembleia Nacional Constituinte ampliou o direito de voto para analfabetos e jovens de 16 anos e legalizou partidos que estavam na clandestinidade. Finalmente, em 1989, o país foi às urnas na primeira eleição presidencial depois de, praticamente, 30 anos.

Junto com a luta pela democracia, os brasileiros também foram reconquistando, aos poucos, a liberdade que lhes havia sido sequestrada pelo golpe de 1964 e efetivamente suprimida pelo Ato Institucional nº 5, em 1968. Censura e proibição do direito de reunião, de opinião e de expressão, foram algumas das facetas da liberdade roubada da Nação naquele período.

A força do povo brasileiro falou mais alto em todo este período recente de nossa história e, pela primeira vez no país, em 2010, foi realizada a sexta eleição presidencial consecutiva, reafirmando a jovem democracia. E de norte a sul, os ventos da liberdade começaram a soprar mais fortes.

Mas para que estes dois princípios – liberdade e democracia - se consolidem – inclusive com a garantia de direitos fundamentais para o exercício da cidadania – é preciso vigilância constante. E, para isso, a sociedade e suas entidades, além de manterem viva a história do país, devem perpetuar os dois valores para que as futuras gerações os defendam com o mesmo vigor com que milhões de brasileiros defenderam – centenas, inclusive, com a própria vida – ao longo do século passado e nesta primeira década do século XXI.

Por isso, a Central Única dos Trabalhadores promove, desde 2011, o Prêmio CUT Democracia e Liberdade Sempre, cujo Manifesto de lançamento foi apresentado em 13 de dezembro de 2010, em ato público realizado no Rio de Janeiro, na data em que foram completados 42 anos do AI-5.